quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Dose de narcisismo


Desconheço as razões pelas quais algumas coisas que não costumavam fazer parte da minha linha de raciocínio estão presentes agora, se é a maioridade, se são as situações que eu e algumas pessoas próximas têm passado...

Mas as razões não fazem diferença. A questão é que venho notado que uma dose de narcisismo não faz mal a ninguém. Admito que essa opinião pode parecer estranha aos olhos dos que me conhecem um pouco melhor, mas deixem-me explicar.

As pessoas que geralmente não são dotadas daquela auto-estima nata têm a tendência de serem mais preocupadas com as opiniões que os outros possam ter delas. São mais agradáveis, mais tolerantes, fáceis de lidar, conseqüentemente. Mas sempre existe alguém que percebe essas boas intenções, e não tão bem intencionado, acaba se aproveitando dessa boa vontade, e agindo de forma nem sempre correta.

E os tolerantes aceitam, acabam sendo usados, e no fim das contas, aquela pessoa a quem consideravam tanto as deixa de lado, com seus sofrimentos e suas mágoas. E o que resta a essa pessoa a não ser se lamentar de sua sorte, e ainda por cima se sentir culpada pelo abandono que sofreu?

Por isso que nessa hora uma dose de narcisismo faz bem. Não aprovar certas atitudes, impedir que certas coisas aconteçam é fundamental para a própria felicidade. Ter medo de dizer não, fazer coisas que não se faria normalmente com medo de ferir só faz com que a dor mude de foco. O segredo de preservar relacionamentos não está em aceitar incondicionalmente, mas sim em respeitar e impor limites.

O relacionamento é uma coisa naturalmente difícil. Deixar tudo passar não significa que as coisa vão bem, muito pelo contrário, mais cedo ou mais tarde tudo cai por água abaixo, e aí, a quem culpar?

Sem falar na falsa idéia de quantidade. Vejo gente por aí dizendo ter muitos amigos, mas será que são pessoas com quem se possa contar? É preferível ter amigos que se contem nos dedos, a ter milhares, com quem não se possa contar num momento de necessidade.

E tem também o tempo para si mesmo. Pra ficar sozinho, pensar sobre a própria vida, as próprias atitudes, o comportamento. A vantagem na reflexão consiste numa maior visão do interior. É mais fácil reconhecer erros e tomar decisões sensatas quando se pensa bem nas coisas, quando temos mais certezas.

Ter certezas não é uma coisa fácil, mas também não é fácil estar num problema por falta de coragem de ser sincero e fazer as coisas. Quem tem que fazer algo pela sua felicidade é você. E ser feliz não significa ter que prejudicar ninguém.


2 comentários:

Ricardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo disse...

"A questão é que venho notado que uma dose de narcisismo não faz mal a ninguém. Admito que essa opinião pode parecer estranha aos olhos dos que me conhecem um pouco melhor, mas deixem-me explicar."

Pareceu estranha mesmo! oO
Mas eu acho que uma expressão que defina melhor o "ter coragem para dizer não" seria respeito próprio, não? =]

Gostei muito desse texto! ;)
Me fez lembrar de uma frase que eu vi uma vez: "Amar é saber dizer não". Essa frase me impressiona muito, principalmente pelo fato de ter sido um garotinho de 6 anos que disse! Pelo menos foi o que eu li...


P.S.: Eu estava pensando nisso hoje de manhã, na parada de ônibus! =O