segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Saudade...

"Eu encontrei quando não quis

Mais procurar o meu amor
E quanto levou foi pr'eu merecer
Antes um mês e eu já não sei

E até quem me vê lendo o jornal
Na fila do pão, sabe que eu te encontrei
E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena

Ah vai!
Me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém
Afim de te acompanhar
E se o caso for de ir à praia eu levo essa casa numa sacola

Eu encontrei e quis duvidar
Tanto clichê deve não ser
Você me falou pr'eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor

E só de te ver eu penso em trocar
A minha TV num jeito de te levar
A qualquer lugar que você queira
E ir onde o vento for
Que pra nós dois
Sair de casa já é se aventurar

Ah vai, me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar"

segunda-feira, 23 de novembro de 2009
















O conflito se estende. Ambos continuam fingindo viver numa situação suportável. Não há risos, não há conversa, mas mesmo assim eu os continuo vendo de mãos dadas.

Talvez a minha percepção que seja muita aguçada. Já vi isso acontecer milhares de vezes. Entendo a tentativa de umas das partes de tentar fazer as coisas darem certo, o que eu não entendo é a falta de amor próprio. Carinho não se pede, nem se exige amor nem consideração.

Até quando apostar em cavalos mortos? Até quando! Para mim é inacreditável, inaceitável. Na primeira tentativa, o erro. Na primeira oportunidade, a entrega de todas as armas.

Seja homem. Tenha coragem. Além de mentiroso, você ainda quer fingir que pra você tanto faz?
E faça sozinho. Ninguém mais tem que agir errado porque você agiu.
É nessas horas que vejo como tenho sorte, de ter coragem e ter alguém que me ama de verdade.

domingo, 15 de novembro de 2009

Um pouco mais calma.

Eu sou impulsiva. Eu sou paranóica. Quando eu gosto é mesmo, de verdade.
Numa situação de dúvida, na qual me encontro agora, é no mínimo difícil tomar uma posição.
Estou adorando ter o tempo que precisava pra pensar em mim e no que eu quero.
Mas no mundo onde vivo, se você pode fazer alguém feliz e essa pessoa o mesmo por você, por que não permitir que isso aconteça?
A vida me sufocou. Eu fiquei cega. Esqueci meus ideais, deixei de ser a pessoa legal que eu era, fiz e aceitei coisas que nunca foram do meu feitio.
Eu gosto de agradar, sei compreender. Mas qual é o preço disso? Agora parece que tudo o que eu fiz foi nada, nada. E eu sinto que não é hora de ir embora. Não está certo.

Agora eu estou pensando muito bem em tudo. Essa é a hora de acertar tudo, e tentar de novo, se é pra ser feliz, porque apoiar não é falar alguma coisa, é só estar lá, mas sem esquecer de si.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Tanto pra dizer que nem sei por onde começar!

Estranha. Sozinha.
Passando por um monte de barras.
Essa sou eu.
Esperando as respostas de mim, de quem eu poderei ou não contar.
É difícil saber que o amor é grande, e que concordamos com muitas coisas.
Foda lembrar do perfume, do gosto, do jeito
E pensar que por falta de coragem não estamos juntos.

Hoje tentei resolver minha vida. Tive que ir pra última das hipóteses
Se eu pudesse pelo menos ligar pra dizer que tá tudo mais dando errado, mas obrigada por você estar aqui!
Será que é tão difícil assim entender que você não tem que resolver nada?
Não tem que sofrer minhas dores?
Só tem que estar aqui.
Eu sei que não vai ser fácil, e eu nem quero que seja
Mas o pior é que passamos por tantas coisas juntos, e quando eu brigo com a minha mãe no telefone, o meu choro triplica só de te ouvir falar na minha mente: "Calma nega, vai dar tudo certo"

[Aos prantos]

"Me queira bem, durma bem meu amor"

Quarta-feira, 11 de novembro de 2009, 10:15 pm.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Diferentemente

- Quantos anos você tem mesmo?
- 18, por quê?
- Pensei que você tivesse pelo menos 20.

Pensei que eu não fosse ouvir isso por tão cedo.
Foi no mínimo uma surpresa. Mais de uma pessoa no mesmo dia.
E eu fico pensando comigo o que será que mudou.

Será que é o senso de responsabilidade?
Ou por que eu sei, de qualquer maneira, que a vida não é tão curta quanto eu esperava?

E o mundo é tão grande, e o mundo me pede tanto pra eu ir rodar com ele
E eu fico aqui, no mesmo lugar, fazendo cada coisa de cada vez
Tendo que ouvir coisas que não queria - pessoas que julgam me conhecer por me ver todos os dias.
Isso tá muito errado. Chega! Eu queria parar um pouquinho.

Algumas muitas vezes eu pensei que fosse desperdício de tempo. Que eu já podia estar tão longe!
Foi quando eu me lembrei que um dia eu olhei pra mim mesmo e falei: "É melhor se guardar agora, porque depois eu sei que você não vai parar mesmo". Como eu queria ter errado!

"Dois problemas se misturam
A verdade do Universo
A prestação que vai vencer
Entro com a garrafa
De bebida enrustida
Porque minha mulher
Não pode ver

Ligo o rádio
E ouço um chato
Que me grita nos ouvidos
Pare o mundo
Que eu quero descer"

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A strange and good sensation

Tá feito. Decisão tomada, não tenho mais para onde fugir.
A sensação de desafio é boa, gostosa, tá mexendo comigo de dentro pra fora.
Eu sei. Eu sinto.
Chegou a minha vez. Não vou desistir. Essa é a minha hora.

Boa sorte pra mim.

ps: Desculpem a ausência, meu motivo é forte.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nothing's enough














It's how I feel all the time.
I forget that there are a lot of people that are worse than me
That I don't forget my dreams...
And I still following them...

Wake up
Don't lose your time.
Don't let your nightmares put you down.
You know your skills.
You know.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Jim's overdose

"Unhappy girl,
Left all alone
Playing solitaire
Playing warden to your soul
You are locked in a prison
Of your own
devise.
And you can't believe
What it does to me,
To see you
Crying.

Unhappy girl,
Tear your web away
Saw thru all your bars
Melt your cell today
You are caught
in a prison
of your own
devise.

Unhappy girl,
Fly fast away
Don't miss your chance
To swim in mystery
You are dying
in a prison
Of your own
devise."

I just can't resist. It's what I'm feeling, he can read my soul. I'll let him dive deeply.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Ser forte

E eu que pensava que com o tempo deixaria de ser chorona, vi que isso, para mim, é algo
humanamente impossível. Apesar dos pesares, eu tenho que reconhecer que meu choro existe para me impulsionar. Meu choro não é só de frustração. É raiva indo embora, e quando chega a noite, eu já tenho coragem para me levantar.

Essa não foi a primeira rasteira que eu levei. Talvez a que me deixou mais cicatrizes, mas que nem de longe me deu vontade de ficar deitada.

Eu me levanto em nome do meu orgulho, das poucas pessoas que acreditam em mim, me levanto em nome do meu sonho.

Eu posso chorar muito, mas isso não quer dizer que eu seja fraca. Choro tudo em um dia só. E amanhã, meu sorriso vai estar aberto de novo para desafiar os que tentaram me derrubar. Não precisa ser muito esperto pra saber até onde isso vai durar. Pode vir com a força que você quiser. Você não é nada. Eu não tenho medo de você.

domingo, 30 de agosto de 2009

Strange days.

"Strange days have found us.
Strange days have tracked us down.
They're going to destroy
Our casual joys.
We shall go on playing or find another town."

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

.









"Meu espírito ninguém vai conseguir quebrar"









.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Nightmares
















Don't let me see my future
In a circle of sadness
- Or madness?

I just cried all day long
Yesterday gone
And I still stuck in my bed

I need future
No more past
Let me thing about everything that I don't know
It's easier when you let me go.

I don't want your gifts anymore.

http://www.youtube.com./watch?v=ma9I9VBKPiw

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Nada por mim
















"Você me tem fácil demais, e não parece capaz, de cuidar do que possui..."

segunda-feira, 27 de julho de 2009

É fato!




Tudo o que você fala pode ter muitas interpretações.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Por que você não desistiria do seu sonho?



















Estava falando com um amigo hoje sobre vontade, motivação, sobre sobrevivência. E acabou que eu disse pra ele o que eu pretencia fazer nos próximos meses, sobre a vontade que eu tinha de alcançar certos objetivos, e isso não saiu da minha cabeça até agora.

Foi do tipo daquelas conversas curtas e úteis. Em alguns pontos, a gente sente mais ou menos a mesma coisa: ambos, apesar de enveredarem por caminhos diferentes, querem sair de onde estão, querem futuro, querem sucesso. Mas e quem não tem sonhos? O que leva alguém a querer a acordar no outro dia?

Pra mim é um misto de curiosidade e de esperteza mesmo. Porque conseguir sobreviver no mundo é ser esperto, é ter que passar por muita coisa sem perder a vontade, é ser bom o suficiente pra ir mais um pouco a frente.

Eu penso em muitas coisas. Minhas ambições são muitas. A impressão que as vezes eu tenho de que não vou viver muito talvez me atrapalhe, talvez me motive a não olhar pra trás e ir com pressa. A dele é a de olhar pra trás e conseguir se ver fora do buraco onde ele está, talvez não tão fundo quanto o de muitos outros que não tem perspectivas, mas talvez muito denso pra ele, cheio de mistérios demais.

Depois disso eu pensei em muita gente que eu gosto, que talvez viva sem motivação, e eu nem tenho ideia disso!

Vocês acham que é possível viver sem ter um sonho?
Quando o que sentimos deixa de ser um sonho para ser uma utopia?


Curiosa para ouvir opiniões e respostas.

dayse_munizz@hotmail.com

ou comente aqui mesmo!


quinta-feira, 23 de julho de 2009

!


Sobrevivi!
thank u honey!
I feel nice now because of u! ;)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Vamos brincar de fingir!
















Tem uma hora na vida de uma mulher de TPM que ela não sabe mais se o que está acontecendo na vida dela é verdade ou apenas uma consequência direta do seu estado de estresse constante e mau humor inalterável.

Puta que o pariu! Isso não é hora pra namorado dar uma de otário.
Não é hora de chefe querer pagar sapo.
Não é hora de mãe pedir satisfação.
Não é hora de porra de ninguém encher o saco.

Está entendendo? E em apenas um segundo de racionalidade eu percebi que deveria pensar melhor nas minhas atitudes.

Eu sei como as pessoas agem. E fico procurando situações que eu sei que não vou gostar de viver;
E procurando respostas que não vou gostar de ouvir;
Imaginando coisas ou pessoas que eu já sei que são ridículas e insignificantes (também se não forem, eu que estou no lugar errado nessa história toda).

Tá foda a parrada. O negócio aqui tá metade-metade. Eu não sei quem é que vai ganhar, mas se por acaso as pessoas que gostam de mim realmente me quiserem ter por perto por mais algum tempo, vão ter que perceber que tem alguma coisa errada e maneirar um pouquinho nos adjetivos. Nessa semana eu não tô poupando ninguém. Talvez por isso que todo mundo têm parecido tão bizarro pra mim. Vai me entender!

Quem está a fim de me distrair? (Eu quero respooooooostas!)

terça-feira, 21 de julho de 2009

O jogo da hipocrisia



















Realmente esta é a semana! Todos os fatos estão caminhando para que a cada hora do dia eu veja um defeito incontestável do ser humano. Cada um pior que outro. Mas eu acho que o pior mesmo é ser um ser humano também.

Moral! O que é a moral? Pelo menos no dicionário quer dizer: "conjunto de regras de conduta consideradas como válidas, éticas, quer de modo absoluto para qualquer tempo ou lugar, quer para grupos ou pessoa determinada".

Pra mim é o seguinte: se você está exigindo algo de alguém, faça merecer o respeito dessa pessoa. As suas atitudes vão fazer com que ela seja ou não correta com você. Eu não posso dizer que não tolero certas coisas, e fazer essas certas coisas com as outras pessoas.

Mas imagine só! No mundinho onde eu vivo, existem pessoas hipócritas o suficiente pra abominar e praticar uma mesma coisa! Bonito, não é?

Pra mim agora é olho por olho, dente por dente. Eu não vou mais deixar essas 'coisinhas bobas' passarem. Eu vou fazer essas pessoas se envergonharem do que estão fazendo. E o melhor de tudo: sem ser tão hipócrita quanto elas, talvez um pouquinho menos!

Seria muito mais fácil pra mim se eu fosse menos sincera, menos explosiva. Mas talvez isso não me engrandecesse tanto quanto engrandece a elas, talvez eu tenha que apanhar na cara mesmo até conseguir o que eu quero.

Pelo jeito eu vou ficar bem machucada. Até mudar certos hábitos vai demorar, demorar!

ps: Continuo com os relatos, de acordo com o que for acontecendo.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Vinde a mim a paciência!















Ahh como eu queria ser cega e surda certas horas! Será que só eu que percebo como certas pessoas estão equivocadas?

Elas estão em um buraco, sem lugar nenhum pra se segurar e enfim emergir, e continuam achando que estão dando uma luz à vida das pessoas.

Seus sonhos são uma piada. Tudo o que sai da boca dessas pessoas é uma baboseira sem fim, um monte de coisa que nem se você insistir muito pode ser aproveitada.

E quem vai acreditar nas estatísticas que essas pessoas montam? Eu simplesmente não consigo entender o jeito como elas não assumem os seus erros. O jeito que são cheias de si, o jeito que se acham melhores que os outros em tudo o que são patéticas.

Eu acho mesmo é que as pessoas que estão em volta são piores do que elas. Porque ouvem, não entendem o verdadeiro espírito da brincadeira, continuam nesses joguinhos de inflar o ego.

Mas vamos ter esperanças! Se eu acordei, por que mais alguém não pode acordar também?


quarta-feira, 15 de julho de 2009

Você que permitiu

Que todas as pessoas entrassem na sua vida e se achassem no direito de fazer o que quiserem com ela. Essa história de vivendo e aprendendo é verdade mesmo. Eu to cansada de gente otária. Gente que acha que está sempre com a razão, gente que acha que está fazendo grandes favores, mas que na verdade, está agindo em prol do próprio interesse.

Quer saber? Que se foda! Eu não to nem aí mais. Quer falar o que você quer, quer dá showzinho? O problema é seu. Foi-se o tempo que eu precisava de você pra alguma coisa. Foi-se o tempo que eu queria manter pessoas mesquinhas na minha vida.

O que me deixa mais puta é que depois a culpa vai cair em cima de mim. Você e os seus interesses, os seus maus negócios, você e a sua auto-suficiência. Que vão você e todos os que ainda te aguentam pro inferno. Eu não to nem aí mais. E não adianta gritar comigo. Eu não te respeito, pra mim você é insignificante. Cansei de ver você jogando as coisas na cara dos outros.

[...]"Quis dar uma volta em todo o mundo
Mas não é bem assim que as coisas são
Seu interesse é só traição

E mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais

Tua indecência não serve mais
Tão decadente e tanto faz
Quais são as regras? O que ficou?
O seu cinismo essa sedução
Volta pro esgoto baby
Vê se alguém lhe quer
O que ficou é esse modelito da estação passada
Extorsão e drogas demais
Todos já sabem o que você faz
Teu perfume barato, teus truques banais
Você acabou ficando pra trás

Porque mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais... [...]

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Destiny

É como se por um segundo eu sentisse que eu vou fazer a diferença de alguma forma.
Nomes, lugares e sorte não são apenas coincidências. São destinos que se cruzam pra mudar o rumo de uma vida. Mas e se algo der errado? Eu devo me culpar?

"Nunca deixe que digam que não val a pena acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo, ou que você nunca vai ser alguém
Tem gente que machuca os outros, tem gente que não sabe amar
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança".


sexta-feira, 3 de julho de 2009

Sobre tudo e nada ao mesmo tempo




















Eu sou uma pessoa meio estranha. Todo mundo deve postar mais quando tem mais ideias e tudo, mas comigo acontece uma coisa engraçada: as vezes são tantas ideias na minha cabeça que eu simplesmente não consigo dizer nada, e acaba sendo bem sem sentido não me aproveitar disso. Então tá bom. Vou falar de tudo e nada ao mesmo tempo.

Como eu me sinto diante da vida as vezes. É como se eu não vivesse. Apenas assistisse a vida da pessoas, como se eu fosse uma pessoa qualquer lendo um livro. Muitas vezes eu devia viver mais, participar mais de certas coisas, deixar a minha marca, mas são essas as horas que eu estou analisando o comportamento das pessoas, o jeito que elas podem estar sendo sinceras ou não, mesquinhas ou não. Será que eu estou perdendo mesmo alguma coisa agindo desse jeito?

Eu tenho medo de que análises tão profundas me façam meio paranóica, meio desconfiada de tudo o tempo todo. Mas eu não consigo viver de outro jeito. E acabo guardando muitas mágoas, remoendo muita coisa que as vezes nem fui eu mesma quem viveu.

Já pensei em dar um basta. Mas não consigo deixar de pensar em até onde as pessoas podem ser honestas, ou podem fazer algo pelo próprio interesse. Talvez isso tudo seja menos complicado do que eu imagino. Mas eu não sei nem se as outras pessoas são de verdade!

terça-feira, 23 de junho de 2009

De quem esperar?



















Afeto, carinho, amizade, perdão.
Por mais que o homem seja ruim e malicioso, sempre acaba esperando pelo menos uma centelha de consideração do outro. Por causa da convivência, do amor, da paciência, benefícios, vantagens, vontades...

Só que mesmo assim muitos lados acabam saindo machucados. E pra onde foram todas as coisas boas pelas quais esperamos? Será que elas ainda vão aparecer?

Eu acredito que sim. Quando nos agarramos aos sentimentos certos, um dia conseguimos ver alguém olhando pra gente de volta. Isso porque construir relações com as pessoas é difícil. Amar é difícil. Mas será que não é mais difícil ainda deixar de amar?

Eu não abro mão de quem me faz bem. Talvez eu não esteja tão perto quanto poderia, mas essas pessoas são aquelas que me fazem feliz pelo simples fato de existirem. E eu faço tudo por elas. E elas vão sentir isso no momento que precisarem de mim.

Me amar e ser grato não é só passar por coisas boas ao meu lado. É as vezes não poder fazer nada, mas estar lá, talvez não fisicamente, mas com o coração. Será que alguém está entendendo? Pra mim, esse é o verdadeiro significado do amor.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

E o que sobra?



















Todo mundo tem o direito de não ter a privacidade invadida.
De se chatear, de explodir.
Tudo bem. Todo mundo tem o direito de não perdoar também.

Todos os dias acordamos pra uma viagem sem volta.
O que se disse já foi dito. Não tem mais remédio.
Cada passo, cada suspiro, cada sorriso, cada coisa que você deixou passar
Não volta mais. Tá gravado naquele momento, nenhum de nós pode pegá-lo de novo
Tentar fazer diferente, pedir pra ter uma última chance.
Será que é esse o segredo da morte? A brincadeira cruel de ver todos os nossos erros passarem
diante os nossos olhos, sem que a gente não possa fazer nada?

De qualquer jeito, o mundo não sabe dividir as coisas.
Tudo acontece ao mesmo tempo.
O que é bom. O que é maravilhoso. O que é ruim.
O mundo todo vai virar as costas pra você.
E o que sobra?
É ser forte, ou algumas super doses de algafan.

Tranquilidade.










As vezes parece que todas as pessoas são iguais.
Que todos os caminhos levam pro mesmo lugar...
As vezes parece que essa minha insegurança de deixar certas coisas pra trás não faz sentido.
Tudo na vida é questão de costume, de querer olhar pra frente mesmo.
Mas se isso realmente for verdade, as pessoas não passam de objetos descartáveis
E temos que passar por todas essas provas pra nada.
Porque queremos.
Sentimos pena de nós mesmos?
Estamos procurando algo para ser a desculpa do nosso fracasso?
E se isso for verdade, o que é o melhor a fazer?
Ir atrás do lixo descartável que deixamos ou fazer diferente com os que vêm pela frente?
É como se ultimamente eu não estivesse tão piedosa assim.
Não to a fim de sair por aí dando muitas chances...
Dentro de mim, eu sei que eu dei chances demais.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Num piscar de olhos
















Tudo é questão de tempo e de escolha.
Questão de observar e perceber como as coisas acontecem.
Optar pelo silêncio e pela esperteza.
Não é ficar em cima do muro. Não é abaixar a cabeça.
É ver os lugares em que estamos pisando.
É ter certeza das pessoas por quem você põe a mão no fogo.

Hoje eu estou aqui falando o que penso.
Mas e amanhã, será que alguém estará me impedindo de algo?
Eu estarei me impedindo de algo?
Até onde eu devo ir?
Onde posso chegar?
Disso eu ainda não sei. Só sinto que mudei perante o mundo.
Mas será que o mundo mudou perante a mim?
Será que o mundo me teme, me respeita?



Minha mente está em estado de choque.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O eu e o mundo




















Eu tenho medo de perder as coisas das quais me orgulho...
Alguns dos meus gostos, que eu não divido com todos os meus amigos,
A música que eu admiro,
Os livros que mexem comigo, os espíritos com quem eu sonho.

O tempo vai avançando
Parece que está levando a minha vontade de lutar,
O grito intalado na minha garganta
Aquela estória que eu tinha de adivinhar as coisas
Aquele sonho que eu tinha de revolucionar e intrigar as pessoas

Será que eu estou sendo vencida pela cansaço?
(No caso, pela rotina, pelo salário mínimo, pelos horários)
Será que eu estou sentada incondicionalmente em cima da minha coragem?

Eu to olhando pro mundo. Mas ele não está olhando de volta pra mim.
Estou presa dentro de uma casa de espelhos. E cada um deles me mostra numa hora determinada no meu dia.
Hoje estou preguiçosa, meio saudosista.
Eu to com medo. Queria que tivesse alguém aqui pra me dizer que to fazendo alguma coisa a mais do que todas essas pessoas monótonas que vivem comigo.

Parece que deitar chama mais o cansaço.
Eu estou pensando em círculos.
Mais um sonho estranho fez rodar minha cabeça.
O que será que eu tenho que buscar?
Eram todos jovens, revolucionários, e me faziam pensar que eu estava estagnado.

O que será que eu estou esperando que aconteça?

O retrato de Dorian Gray

"- Que me diz da arte?
- É uma doença.
- O amor?
- Uma ilusão.
- A religião?
- O substituto, em moda, da Crença.
- Você é cético.
- Jamais! O ceticismo é o começo da Fé.
- Que é você?
- Definir é limitar.
- Dê-me uma pista.
- Os fios quebram-se. Você se perderia no labirinto."

É quase meu destino cruzar com obras tão incríveis.
Depois vocês não entendem o meu comportamento.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Down...
















"Eu não sei o que o meu corpo abriga
Nestas noites quentes de verão
E nem me importa que mil raios partam
Qualquer sentido vago de razão
Eu ando tão down...
Eu ando tão down...
Outra vez vou te esquecer
Pois nestas horas pega mal sofrer..."

quarta-feira, 20 de maio de 2009

É que tudo acaba onde começou!















Eu me lembro da primeira vez que vi o Pedro. Na época em que eu andava de jaqueta no sol quente, all star cano longo, piercing de argola no nariz e bastante maquiagem no olho. A gente já conversava, por intermédio da Marília, mas nunca havíamos nos encontrado. Daí eu to andando na rua, num dos meus dias de mau humor, e o encontro.

Ele me acompanhou até o cilt e parecia que nos conhecíamos há anos. E nos divertimos como velhos amigos de infância. Me lembro até da blusa do KISS que ele tava usando. Quase na hora de me deixar, o Pedro me pergunta: 'vc tá decepcionada?' e eu, surpresa, perguntei: 'por que estaria?' - 'porque eu sou gordo'.

Pois olhem só o que me ocorreu. Uma pessoa tão maravilhosa não poderia pensar assim de si mesma. Mas ele pensava. E eu respondi que aquilo não me importava. Acima de tudo, existia ali uma pessoa extremamente gentil e agradável, extremamente encantadora, e que logo logo se tornou um grande amigo.

Aquela não estava sendo uma fase muito boa da minha vida. Eu passava por mudanças muito constantes de humor. E a minha auto estima, jazia em um buraco. Ele foi desde um conselheiro até um adulto realista. Cheguei até a dizer que eu desejava morrer de overdose, algo assim, sórdido e idiota. E ele respondeu: ' se é o que você quer, vá em frente!'

Foi aí que eu entendi que a minha vida não pertencia só a mim. Mas às pessoas que gostavam de mim, e de qualquer forma queriam fazer diferença na minha vida. Doeu, demorou, mas passou. Aqui estou eu.

Eu me lembro da primeira vez que o vi triste.
E de me sentir extremamente confortável no seu abraço.
Eu me lembro de o ver tentar e desistir. Mas eu nunca perdi a fé nele.
Eu o vi lamentar. E de repente não caber em si de tanta felicidade, por ter encontrado alguém que o amasse como ele merecia.
Eu me senti muito feliz. Eu não duvidava de que ele encontraria. Mas com certeza pra ele a espera foi muito longa porque ele tem e sempre teve muito amor pra dar.

Eu lhe contei muitos segredos. Ele me contou alguns também. Acima de tudo, eu tive alguém pra me ouvir. Acima de tudo, eu queria que ele enten desse que do mesmo jeito que o amor sorriu para ele, ele também será recompensado pelo esforço que ele faz. É questão apenas de deixar de duvidar tanto assim de si as vezes, e perceber o quanto ele lutou para chegar onde chegou.

É por essas e por outras, Pedrão, que eu te digo:

'Pedro onde 'cê vai eu também vou... É que tudo acaba onde começou'.

Afinal, ainda continuamos sendo as mesmas pessoas imperfeitas e confusas, porém, gratas e persistentes.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

A estrela












"Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia.

Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria!
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.

Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alto luzia?

E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
Mais triste ao fim do meu dia."

domingo, 17 de maio de 2009

Waiting

"Já não sei dizer se ainda sei sentir
O meu coração já não me pertence
Já não quer mais me obedecer
Parece agora estar tão cansado quanto eu

Até pensei que era mais por não saber
Que ainda sou capaz de acreditar
Me sinto tão só
E dizem que a solidão até que me cai bem

As vezes faço planos
As vezes quero ir
Para algum país distante e voltar a ser feliz

Já não sei dizer o que aconteceu
Se tudo que sonhei foi mesmo um sonho meu
Se meu desejo então já se realizou
O que fazer depois, pra onde é que eu vou?

Eu vi você voltar pra mim
Eu vi você voltar pra mim
Eu vi você voltar pra mim"

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Nos braços da rotina






















Quer me matar?
Acabar com o me dia?
É só me lembrar que eu tenho que acordar e me dispor a fazer sempre as mesmas coisas, com as mesmas pessoas, e no mesmo lugar. Pessoas que não aceitam a minha situação de humano errante, que me julgam e me jogam em meio a um ciclo vicioso de tensão e estresse.

Tá a fim de me deixar puta? Me fala que uma coisa que eu estou lutando pra conseguir não vai dar certo. Eu to dando minha cara a tapa. To apanhando do cansaço e da indisposição. Mas e daí? Não vou desistir antes de ter certeza de que eu to fazendo a diferença.

Todas as pessoas tentam colocar a culpa nas outras. E esconder o fracasso delas em cima do fracasso das outras. Eu vivo descrente de certas coisas. O que eu acredito é que o mundo dá voltas grandes o bastante pra me colocar no lugar deles. E exigir. E os fazer duvidar da própria capacidade que eles têm, do mesmo jeito que eles fazem comigo. Mas sabe qual a diferença deles pra mim? Eu ainda naõ sei até onde posso chegar.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Palavras de última hora


Eu acredito que a palavra tem poder.
O pensamento também.
Não é questão de adivinhar, ou nem mesmo de força de vontade.
A questão é que os pensamentos são linhas.
E um vai puxando o outro.
E se um pensamento seu te levou a outro pensamento
Pode ter certeza que ele pode sair da sua cabeça e ir morar na sua vida.

Por isso que eu digo.
Não é questão de adivinhar.
Eu fiz o teste. Eu comprovei.

Queria parar de pensar em tudo.
Porque hoje é um dia que qualquer coisa vai me levar a um pensamento não tão bom assim.

Ainda bem que ontem foi o meu dia.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Sonhos II





















Quase todas as noites eu tenho um sonho estranho. As vezes me dá na telha, daí eu post aqui um ou outro mais interessante.

O dessa noite me deixou bem pensativa. A raça humana passava por uma mutação, onde se tornava gigante. Até então tudo bem. Os humanos sempre quiseram conquistar o céu. Foi o que me ocorreu. Depois da surpresa e das especulações, veio a preocupação de adaptar o mundo a nossa nova situação.

Foi quando percebemos que quando a nossa raça sofreu essa mudança, o que ganhamos fisicamente perdemos intelectualmente (pensando bem isso nem é tão anormal assim, não é mesmo?). Qual a conclusão disso? Não conseguíamos mais fazer as coisas. Nada. Éramos apenas grandes criaturas perdidas no meio do mundo.

Daí um dos gigantes, no meio de seu desespero, tocou os portões de uma igreja. E esses portões se se tornaram tão grandes quanto nós. Eu, gigante também \o/ vendo isso acontecer, entendi o que estava acontecendo.

A partir do momento que o homem chegou mais perto do céu, ele deixou de entender a ciência. Porque quando se seja perto do céu, é só o que Deus manda que importa. E Deus não quer alguém que duvide ou pergunte. Ele quer quem obedeça. Aquilo era um milagre. Estávamos todos salvos. Porém, eternamente mergulhados na ignorância.

Depois de muitos anos, esse sonho foi o mais perto de Deus que eu já estive. Mas ele não mudou nada o que eu penso. Ele só reforçou o que eu pensava. Deus não quer filhos. Ele quer servos. Ele quer discípulos. Ele quer gente cega e ignorante. No final das contas, são todos sinônimos.

domingo, 3 de maio de 2009

Questões do pensamento















O pensamento chama.
O pensamento pondera e perdoa.
Imagina, se enrola, pensa em parar de pensar.
Mas parar de pensar puxa outro pensamento:
Pensar em que pra parar de pensar?

Meu pensamento as vezes me transforma
As vezes me ajuda, me aconselha
Quase sempre me dói

Isso porque o meu pensamento é pessimista
Eu tento não o ser.
Mas e se por acaso eu desistisse...
O que fazer para o esquecer?

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Heads on a silence apart...





















What's the matter? Why am I feeling this away?
Sometimes I feel like everything's wrong
Like I'm not good as I could be.

Sometimes I feel like I'm not in the right place.
If I were you, I probably would try to make things different you do.
I'm sure you'd do the same, now, talking about me.

Since some weeks I'm feeding this thought that
Tomorrow will be a hard day.
My week was hard because of this.
My heart is heavy because of this.

I've been waiting so long for the day
That I can scream loud, say that you are mine and I make you happy.
This day is coming.
But I don't know if I want to scream anymore.

"Nobody said it was easy

It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh take me back to the start"

segunda-feira, 27 de abril de 2009

The time has come

''Remember yesterday, walking hand in hand.
Love letters in the sand, I remember you.
Through the sleepless nights, through every endless day,
I'd wanna hear you say, I remember you.''




s2

sexta-feira, 24 de abril de 2009

O mundo é um jogo de interesses















As amizades. A consideração. A simpatia. Esses pequenos laços da relação humana só vão durar enquanto alguém achar que precisa de você. Exagero meu? Vamos analisar.

- Seu chefe: vai te tratar bem enquanto você trouxer dinheiro pra empresa dele. Ele pode dizer por aí que te adora. Mas ele adora o dinheiro que você trás. Seja 0,99% menos eficiente e você vai entender aquele velho ditado, 'amigos amigos, negócios a parte.'

- Seus amigos: também fazem parte desse jogo. Querem a sua companhia porque você é um cara que proporciona diversão ou entreterimento, seja pelo seu dinheiro, suas piadas, ou os amigos da sua namorada.

- Sua mãe: quer pessoa mais interesseira que essa? Você pode ser um merda. Ela reclama de você porque se você não for bem sucedido, quem vai assegurar a velhice dela?Por isso que mães que têm mais de uma filho sempre têm preferência pelo mais esperto.

- Seu pai: Quando ele te diz que você tem que ser bem sucedido e de caráter, ele não está preocupado com a sua vida. Mas com a honra dele. Nada mais que isso. Por isso, se for por debaixo dos panos, ele não vai ligar se você for desonesto.

- Seu namorado (a): Ele diz que te ama? Ele ama a felicidade que você dá pra ele, o prazer que você dá pra ele, as coisas que você proporciona, os conselhos que se você não desse, ele estaria f******. Se ele te amasse, e não amasse apenas as VANTAGENS de namorar com você, não te daria o pé na bunda na primeira oportunidade.

Enfim... Argumentos não me faltam, não é mesmo? Tudo vai funcionar até o dia que você virar um peso morto. Por isso o mundo é um círculo vicioso de bajulação, falsidade e aparências. É por isso que não quero nem pensar em me condicionar. Ouvi uma frase de uma pessoa essa semana, e ela tem toda razão: '
Quer conhecer uma pessoa? Dê poder a ela'. É dito e feito, é assinar embaixo, é assim que funciona. Talvez com um pouco menos de veneno.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Few words








"Maybe I've been here before
I know this room

I've walked this floor
I used to live alone Before I knew you 
I've seen your flag

On the marble arch
Love is not a victory march 
It's a cold and It's a broken Hallelujah"

domingo, 12 de abril de 2009

9:55













As vezes eu sou de vidro. Qualquer toque de mal jeito me fragiliza, a menor queda pode me fazer em mil pedaços...E ser assim não é difícil só pra mim, mas pra quem vive perto de mim também. É como se um gesto só pudesse destruir toda a beleza do que se construiu tão arduamente, com tanto suor, paixão, lágrima.

O pior é que é quase impossível saber o que eu acho bom e ruim. E isso me deixa agonizando, e eu corro por todos os lados pra ver se alguém consegue ver a minha angústia. E nesse desespero, eu não vejo mais o que faço. Acabo tropeçando nas promessas que espero dos outros, sem ao menos ter parado pra ver o que EU ESTOU FAZENDO DISSO TUDO.

Eu venho aqui desabafar. Mas será que algum de vocês consegue entender o que estou querendo dizer? Ou vocês só escutam e comparam as minhas idéias com as suas idéias, e os meu problemas com os seus problemas.

Ninguém consegue entender porque eu me sinto tão diferente assim. Eu não consigo entender porque me sinto tão diferente assim. É um conflito da minha mente com o meu coração. Mas eu ainda tenho onde me abrigar.




As vezes dá vontade de sair por aí e nunca mais me encontrar.


Nat, eu também sinto muito a sua falta.
Lis, não me esqueci de você.
Dani, penso em você todos os dias.No Nat também.
Jack, pra onde você foi?
E os meus meninos, cadê?

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Isso deve ser o mundo real.




















É incontestável o fato de que o senso de responsabilidade muda completamente a vida das pessoas. O pensamento, os planos, as idéias. Vira tudo de cabeça pra baixo. Em meio às coisas que já conhecemos e aquelas que ainda estão sendo assimiladas pelas nossas mentes, fica uma insegurança, um medo de estar fazendo as coisas do jeito errado.

O julgamento precipitado piora tudo. O orgulho também. Entre estar certo e as pessoas acreditarem em você existe um mundo. Entre deixar as coisas acontecerem e querer resolver tudo sozinho, há um mundo também.

Eu era uma pessoa bem certa quanto à algumas opiniões. Mas agora não sou mais. É como se a mente de outra pessoa tivesse tomado conta da minha, conflitando meus princípios e a minha ética. Um estilo de vida ideal agora parece realmente longe. Chegar a isso então, nem se fala.

Quero dizer tantas as coisas ao mesmo tempo que agora me falta coerência. Mesmo assim, consegui me explicar. É isso mesmo que estou sentindo agora: estou confusa. Tudo parece pouco e demais. Um misto de raiva e consideração. Coragem e desanimo. Isso deve ser o mundo real.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Love is reason.




















No que se diz respeito ao amor, já aprendi a seguir os meus instintos. Todas as vezes que eu penso demais em você significa que tem alguma coisa pra conversar mesmo. Eu faço as reclamações de sempre, e quando você entende, concorda, eu não preciso esperar até o outro dia pra ver que você, mesmo sem querer, cumpre as suas promessas.

E eu com medo de que tudo caísse num buraco de mesmice. Que nada! Parece que todos os dias você faz alguma coisa pra me fazer mudar de idéia. É só você querer mesmo.

E essas dúvidas? E essa preocupação? Não precisa esquentar com isso. Eu entendo, eu também sinto. Acima de tudo, eu quero você perto.

Abrir mão é uma consequencia. O fato é que você me faz (e muito) feliz.

Pra que lutar contra isso? É difícil de acreditar, mas é mesmo de verdade.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Awake




















"No more turning away
From the weak and the weary
No more turning away
From the coldness inside
Just a world that we all must share
It's not enough just to stand and stare
Is it only a dream that there'll be
No more turning away"

quarta-feira, 25 de março de 2009

You only live once.
















Sim. Não adianta esconder nada de si mesmo.
Não adianta tentar fingir que está tudo certo, quando não se tem certeza disso.
Não adianta fechar os olhos...

Por que fechei meus olhos?
Por que deixei que as coisas acontecessem como aconteceram?

Foi um medo tolo de não te ter de jeito nenhum...
Uma insegurança enorme que tomou conta dos meus músculos... e pra mim ainda é difícil ter que imaginar que você não está perto.

Ainda não é aceitável a idéia de que o mundo é tão grande a ponto de me deixar te perder.

Apesar de tudo, acima de tudo... Obrigada...

Por todas as canções e poesias
Por todas as tardes e noites, manhãs, por todos os dias
Por ter ouvido, por ter me contado primeiro
Por ter me buscado, e me apertado nos seus braços.
Quantas vezes eu te pediria pra ficar se tivesse certeza de que você seria feliz?
Centenas. Milhares. Infinitas vezes.
Até que a minha voz faltasse, até que eu sangrasse.
Até que eu já tivesse extrapolado todas as palavras e línguas.
Até que o mundo parasse e sobrasse apenas eu, você e o meu pedido.

Mas eu sei que nada disso vai adiantar nada. Mesmo se eu e você fossemos um só.
Eu te pediria pra ficar.
Você partiria de mim.

É doloroso admitir que a sua felicidade, ironicamente, se encontra num lugar que eu não posso alcançar. Mas você foi generoso, não é?
...
Pelo menos um segundo eu vou tentar ser também.
Porque não é justo só um de nós ser feliz.

É como diz a canção:
"Eu continuo aqui, meu trabalho e meus amigos
E me lembro de você em dias assim...
Dias de chuva
Dias de sol."

Não importa aonde você esteja...
O resto você sabe.

quarta-feira, 18 de março de 2009

.




Don't you worry. I am ready.

terça-feira, 17 de março de 2009

I´m going through changes
















Loucura. Surpresa. Mudança. São as palavras que estão dando o norte da minha vida agora.
É bom, sorridente, profundo e inesperado...
E pra conquistar isso tudo, sei que vou ter que desistir de um sonho.
O que é tão difícil pra mim!
Abrir mão de uma ilusão que sempre esteve tão marcada na minha pele, tão presente na minha mente.
Quem mandou, Dayse? Quem te disse que você tinha todo o tempo do mundo pra conquistar o seu sonho? Foi a infeliz da sua consciência, e ela estava tão errada...
Ela te ensinou a não querer ouvir a verdade muitas vezes, a ser inconveniente e temperamental. Ela te ensinou que quando há algo na sua frente, é melhor convencer do que passar por cima... Mas será mesmo que isso tá certo? Essa vontade de 'benevolência' não esconde nada que nem você mesma quer ver?
São ponderações e planos... Conquistas, desistências e muita coisa pela frente ainda.

Eu sei que tem muita coisa de que ainda duvido. Mas do que eu tenho certeza é que odeio o jeito que você é sincero as vezes. Ninguém é tão perfeito assim.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Se permitir
















Estou me vendo deixar as coisas passarem...
Tenho medo de ter uma decepção real, maior do que a que carrego hoje
Mas até quando as coisas têm que ser assim?
Até quando vai partir de mim, vai depender de mim?

Antes era eu quem tinha medo de ter perder
Hoje sou eu quem pensa... será?
Que importância eu tenho?
Que diferença eu faço?
Será mesmo que vale tanto a pena lutar, abrir mão, apostar?
Já existem algumas coisas que me fazem pensar que não...
Pelo amor de Deus, não me faça ponderar mais!
Faça algo que me faça mudar de idéia.
Faça algo que me faça pensar que eu não existo só quando você pode me ver.

Eu faço tudo pensando em progressos, em melhoras
E ganho de volta lugar nenhum pra me segurar quando estou precisando de apoio
Será que eu terei que ponderar todas as vezes, antes de pensar em procurar por você?
Será que eu terei que escolher entre ficar decepcionada com a sua insensibilidade ou ficar sozinha... Esperando até que um dia por acaso você perceba que eu não estou mais tão bem?

Se você parar pra pensar, são pequenas coisas... Mas pra mim, estão tomando um espaço que não poderiam, que não deveriam.. Mas a culpa é minha por não querer me sentir jogada, sozinha,apenas mais uma obrigação, uma necessidade fisiológica como todas as outras, uma coisa substituível como todas as outras?

E quanto ao que eu quero, ao que eu peço e tenho que ficar relembrando, enquanto você se lembra de dias e datas tão longes, tão menos relevantes, enquanto o dia que nos diz respeito pra você é o dia que você descreve como ''Tinha alguma coisa ontem, né! Mas o que era mesmo?" É humilhante ver que você teve que anotar pra não se esquecer. Me quebrou em mil pedaços.

segunda-feira, 9 de março de 2009

The game is over.




















You can stop now. Your weakness won the game.
But I don't know why, you still thinking that I'll be there
always when you need the might and courage which belong to me.

Forget. I'm tired of try, and try again.
I'm tired of borrow my wisdom to someone who doesn't care for me.

I don't wanna share my dream with a person that doesn't know recognize loyalty, true love and affection.

You can stop now. Your ingratitude won the game.


I'm glad for still having my shelter on my love's arms. I don't need you.





quarta-feira, 4 de março de 2009

Unbeliever.
















'Oh Lord, won't you buy me a Mercedes Benz?
My friends all drive Porsches, I must make amends.
Worked hard all my lifetime, no help from my friends,
So Lord, won't you buy me a Mercedes Benz?

Oh Lord, won't you buy me a color TV?
Dialing For Dollars is trying to find me.
I wait for delivery each day until three,
So oh Lord, won't you buy me a color TV?

Oh Lord, won't you buy me a night on the town?
I'm counting on you, Lord, please don't let me down.
Prove that you love me and buy the next round,
Oh Lord, won't you buy me a night on the town?

Oh Lord, won't you buy me a Mercedes Benz?
My friends all drive Porsches, I must make amends,
Worked hard all my lifetime, no help from my friends,
So oh Lord, won't you buy me a Mercedes Benz?'


terça-feira, 3 de março de 2009

Coragem.


É o que está faltando na vida de algumas pessoas. Coragem para mudar a situação, dar a volta por cima, esquecer certas coisas destrutivas e seguir a vida.

Que adianta ficar batendo na mesma tecla?! Você consegue fingir para os outros, mas não para si mesmo que é feliz. Não sou contra uma segunda chance, mas sou contra irresponsabilidade e falta de escrúpulos.

E é isso que as pessoas covardes deixam que aconteça: que façam o que quiserem com elas sem nenhum preço a se pagar, sem nada a se perder. O erro tem que ser punido. É preciso dar valor a si e às pessoas que estiveram sempre do seu lado, que recebem o mesmo crédito de quem não esteve, ou até o mais, não duvido mais disso.

O tempo não diz nada num caso desses. Já cansei de dizer. Ter vivido muito tempo ao lado de alguém não significa que o amor é incondicional. O amor não tem hora nem tempo pra se desgastar. Muito menos o amor próprio. E numa esperança mesquinha para que as coisas dêem certo, se guarda um amor pelo outro e se esquece o amor por si. E onde fica a verdade nessa história?! Fica esperando para aparecer quando todas as coisas tiverem dado errado.

Ser 'feliz' e achar que isso vai durar não passa de ilusão. Isso só dura até a próxima mancada. Ou até um dos dois ter coragem de acabar com o teatro.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

O último sonho desta noite
















Tive um sonho esta noite que me deixou o dia inteiro pensativa. Eu encontrava algo de cor estranha e chamativa, com aspecto radioativo mesmo (eu curto umas lombras de vez em quando) e tentava levar para casa. Mas sempre caía da minha mão, e eu já começava a passar mal.

Tentei pegar do chão de novo, e daí eu já acordava no meio de um ataque cardíaco , porém, no momento, não tomava consciência de que isso estava acontecendo. Era como se eu olhasse tudo de fora do meu corpo. Depois de me ressuscitarem, deitada na cama, eu senti uma dificuldade imensa de respirar. Aí descobri que um dos médicos que haviam me ajudado era um ex namorado, que não vejo desde o dia em que terminamos. Ele havia salvado a minha vida! Quer um jeito melhor de reencontrar alguém?!

De repente o Felipe aparecia. Vestido de preto e abatido (como se já esperasse me encontrar morta), ele trouxe chocolates para mim de presente. Mas o médico disse que eu não podia comer o branco, só o preto, e o branco ficou pra pessoa que ficava na cama ao lado (a Laís, por um acaso).

Aí eu vi os médicos explicando ao Felipe que eu havia tido uma parada cardíaca, e que por muito pouco não tinha morrido. E quanto mais o médico falava, mais eu me sentia mal, sentia a dor de verdade, e minha respiração ficava mais pesada...

Foi quando notei que o meu coração boiava dentro de uma espécie de caixa de vidro, e eu estava ligada a ele por uns tubos. E no meio da conversa, eu simplesmente fiquei em pé em cima da cama e aproximei meu peito todo cortado no vidro, meu coração se encostou à parede da caixa, bateu uma vez e eu cai de novo. Mais uma vez tentaram me reanimar. Não conseguiram. Fiquei alguns segundos morta, depois voltei.

O médico continuou falando, e nos alertou que meu coração não me servia mais, que eu precisa de um novo. Eu tranquilizei o Felipe, dizendo que logo logo alguém me doaria um, e eu viveria.

Enquanto isso acontecia, o Felipe gritava, desesperado. Disse que não aguentaria mais viver se eu morresse. E então aproximou o coração dele do vidro, como eu havia feito, e um dos tubos que me prendia ao coração soltou, beijou o vidro, caiu e voltou de novo. Aquilo era prova de que o meu coração era compatível com o corpo dele.

Então ele disse que arrancaria o coração dele e me daria para que eu vivesse. Por um segundo me senti aliviada. Um segundo depois pensei: e você?! Como vai viver?! Como se eu conseguisse viver se ele morresse. Ele queria ficar com meu coração defeituoso e me dar o dele.

Então eu comecei a chorar e chorar sem parar. Não disse nada. Mas já tinha decidido que eu morreria, e não ele.

Foi extremamente real e estranho. Nunca vi minha morte de forma tão clara, repentina e certa. Eu nunca tive medo que a morte me atingisse. Essa foi a primeira vez. Mas não foi por mim, foi por ele. Acordei querendo abraçá-lo. Ainda bem que quando isso acontece ele não pergunta mais o porque dos meus atos. Só me abraça de volta.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Me diz, me diz pra onde é que a gente vai fugir?















Eu já desisti de entender! Vejo as pessoas em volta engajadas em procuras inúteis e dolorosas. Pessoas que se preocupam com as coisas mais superficiais com o intuito de esconder suas falhas. Tentei até a minha última gota de sangue manter, satisfazer, contar com elas, mas não recebo nada em troca!

Sempre tive a característica de me esconder quando estou com problemas. Me isolo porque não quero magoar quem quer que seja, quando este alguém tenta me ajudar e eu sei que não vai conseguir muita coisa.

E o que ganho com isso?! Ganho rejeição quando já estou bem e pronta para ouvir os problemas deles, enquanto eles se afastam porque EU não estava perto o tempo todo!

É chato, cansativo, desnecessário voltar ao mesmo assunto todas as vezes, para se tentar descobrir porque nada é mais como antes.

É difícil ter que ouvir que eu não estava por perto. Que eu deixei de ver algo crescer, ou morrer, as vezes. Isso é culpa de quem?! Minha, quando os tento proteger?!

"Deixa, se fosse sempre assim quente
Deita aqui perto de mim
Tem dias que tudo está em paz
E
agora os dias são iguais

Se fosse só sentir saudade
Mas tem sempre algo mais
Seja como for
É uma dor que dói no peito
Pode rir agora que estou sozinho
Mas não venha me roubar

Vamos brincar perto da usina
Deixa pra lá, a angra é dos reis
Por que se explicar se não existe perigo?

Senti teu coração perfeito batendo à toa
E isso dói
Seja como for
É uma dor que dói no peito
Pode rir agora que estou sozinho
Mas não venha me roubar

Vai ver que não é nada disso
Vai ver que já não sei quem sou
Vai ver que nunca fui o mesmo
A culpa é toda sua e nunca foi

Mesmo se as estrelas começassem a cair
E a luz queimasse tudo ao redor
E fosse o fim chegando cedo
E você visse o nosso corpo em chamas

Deixa
pra lá
Quando as estrelas começarem a cair
Me diz, me diz pra onde é que a gente vai fugir?"












Não pensei dizer isso nunca antes na minha vida, mas tenho que reconhecer que o carnaval foi extremamente gostoso! Longe do axé e dos pagodeiros abusados, me diverti a valer numa fazenda no fim do mundo!

Sem absolutamente nada para se fazer durante o dia, e com uma vista maravilhosa das estrelas a noite, dias memoráveis de minha vida.

Encontrei uma resposta, porém, agora estou perdida sem saber o que vou fazer, agora que me acostumei com você tão perto, meu bem.

Acordar e ver primeiro o seu rosto, e dormir com você perto, me protegendo de todo o frio que pudesse me atingir me deixou muuito mal acostumada...

Felizmente você também ficou mal acostumado, não é mesmo?! Ainda bem que posso dizer pra você o tempo todo que amo tê-lo por perto!

(Eu posso ter dito que não me lembro que as coisas existem quando não posso vê-las, mas isso não vale pra você, meu bem).

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

I know that's the way...
















"You know, you must take a look at the new land

The swimming pool and the teeth of your friend
The dirty in my hand
You know, you must take a look at me

Baby, baby
I know that's the way

You know, you must try the new ice-cream flavour
Do me a favour, look at me closer
Join us and go far
And hear the new sound of my bossa nova

Baby, baby
It's been a long time

You know, it' s time now to learn portuguese
It's time now to learn what I know
And what I don' t know
And what I don' t know
And what I don' t know

I know, with me everything is fine
It's time now to make up your mind
We live in the biggest city of South America
Of South America
Of South America

Look here read what I wrote on my shirt
Baby, baby
I love you

You do!"

(Baby - Mutantes)

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Eu decidi, tá dedicido!



Impaciente impaciente impaciente! Todo mundo decidiu encher o meu saco sobre as coisas que eu já decidi, e eu ainda sou mal educada quando respondo mal! Esse povo que me conhece tão bem não percebeu até agora que cumpro as coisas que eu prometo!?

Ahh isso me deixa possessa. Se eu decidi, tá decidido! E não adianta duvidar de mim, nem me dizer que estou errada, porque eu não descanso até provar que eu tava certa mesmo!Só isso. Não me façam usar a minha falta de educação.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

E quem disse que não é vitória minha também?!


Quando aquela página foi aberta e não pude ver meu nome, não nego que a decepção tomou conta de mim. Por mais que eu soubesse não ter estudado o suficiente, por mais que eu sentisse que talvez não fosse dessa vez, senti isso, sim.

E os meus primeiros pensamentos foram: Ainda bem que o Felipe está aqui; ainda bem que a Laís passou.

Saber que o sonho dela havia sido realizado significou para mim ter forças para continuar, e ter um apoio, já que alguém a quem eu amo tanto emprestou sua felicidade para mim. Emprestou sim. Não foi comigo. Mas quem disse que não é vitória minha também?!

Eu a vi passar de uma menina insegura e tola a uma mulher forte e decidida. Eu a vi ser feliz, a vi festejar, a vi chorar, linda, mergulhada em silêncio... a vi perder, e achar que conquistou de novo, a vi desabar, mas se agarrar à vida e ter forças para seguir em frente... duvidar e enfim, vencer!

Nada do que eu diga hoje será suficiente para mostrar a minha felicidade e o meu orgulho. Nada do que eu suponha, do que eu relembre, do que eu imagine tentar dizer, será suficiente para falar que hoje o mérito é todo seu, a felicidade, a vitória, as congratulações.... tudo tudo!

E eu, como uma pessoa que te ama, como uma pessoa que pode dizer isso e ouvir eu te amo de volta, quero usufruir do meu direito para dizer a você que hoje é só o começo de um grande futuro, a primeira página da vida de uma grande pequena mulher que se escreve para quem mais quiser ver.

Não sei se já disse isso antes, mas me acho muito egoísta. E sabe por que?! Porque acho que quando alguém maravilhoso se permite ser amado, e trazer felicidade a outras pessoas, não está fazendo bem a si, mas sim a quem está em volta. E obrigada, por um dia que talvez eu dormisse chorando de tristeza, eu poder sentir o coração leve de paz, orgulho e felicidade. Você e TODA a sua família são pessoas únicas e maravilhosas que sempre serão essenciais na minha vida. E poder dividir isso com todos vocês faz a minha vida mais feliz. Eu também venci, e quando chegar a minha vez, dividirei minha felicidade com vocês.


ps: Veja e aprenda como se canta os gatinhos do Campus da Ceilândia:

- Que saúuuuuuuuuuuude hein! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Raízes do ódio






O ódio é um sentimento engraçado. Julgado por todos, tachado de feio e destrutivo, as pessoas negam possuí-lo em seus corações. Mas todos possuem.

Mais julgado ainda é o ódio que se têm a alguém a que se devia muito amor. Mas o amor não vem no coração de ninguém. Ele nasce e cresce lá quando realmente dão espaço a ele.

E o amor também pode se transformar em ódio. Quando se tenta, com todas as forças, agradar a alguém, fazer com que as coisas dêem certo, e elas simplesmente não dão, o amor é substituído, e toda uma existência que devia ser construída em cima de felicidade é jogada no lixo.

Do mesmo jeito que ninguém nasce amando, ninguém nasce odiando. É claro que é mais fácil deixar de amar alguém, porque o ódio vem junto com o orgulho, com mágoas e dor.

E o perdoar, então?! Pode ser considerado miraculoso. Porque quando se têm motivos pra odiar alguém, o que é feito depois de toda a dor que se causou parece muito pequeno. As desculpas parecem falsas, parecem armadilhas. Quem pede perdão não quer acabar com as dores que causou aos outros, mas sim com as dores que causou em si.

"Emily tries but misunderstands

She often inclined to borrow somebody's dreams till tomorrow
There is no other day
Let's try it another way
You'll lose your mind and play
Free games for may
See Emily play
Soon after dark Emily cries
Gazing through trees in sorrow hardly a sound till tomorrow
There is no other day
Let's try it another way
You'll lose your mind and play
Free games for may
See Emily play
Put on a gown that touches the ground
Float on a river forever and ever, Emily
There is no other day
Let's try it another way
You'll lose your mind and play
Free games for may
See Emily play..."

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Palmas para a negligência


Não é surpresa pra ninguém que me conhece pelo menos um pouco que eu tenho horror ao nazismo. Costumo ouvir dessas pessoas que esse pensamento é um tanto exagerado, que isso já passou, que o mundo hoje em dia já melhorou muito, se comparando com os absurdos que o nazismo já provocou.

Mas aí todos os jornais publicam uma historinha interessante pra fazer vocês, meus amigos, calarem vossas bocas.

Como esses porcos simplesmente não conseguem provar a sua supremacia em cima das outras 'raças', eles provam sua ignorância com seus atos repulsivos.

O pior de tudo é saber que as autoridades suíças não consideram o ato do grupo neonazista como xenofóbico, dizem que o caso não está bem esclarecido. Ah, não está não?! Já sei o que deve ter acontecido! A mulher queria fazer um aborto, tomou um remédiozinho básico, e pra ter uma bela desculpa pra família, se riscou com um canivete.

Claro que foi isso que aconteceu! Uma população que tem 1/3 que se considera xenofóbica não seria capaz de abrigar porcos nazistas! Claro que não! Isso é um absurdo.

Todos fecharam os olhos para a verdade. Os suíços tratam com desdém as ações dessas pessoas, não acham que seja importante assegurar aos imigrantes que andem em paz pelas ruas, sejam eles pretos, brancos ou amarelos.

Mas e se fosse aqui no Brasil? Se fosse um suíço agredido aqui? Diriam que o Brasil é um país de gente violenta e ignorante, que o governo é prolixo, e blablabla.... Mas acontece que não foi. A mulher tem o corpo todo riscado com a sigla do partido de ultra direita alemã e isso não é prova suficiente!

Muito pelo contrário, isso é um outro argumento. Essa singela figura acima é uma propaganda do SVP, que nem é preciso dizer, é extremamente racista. Uma ovelha branca chuta uma preta para fora da Suíça. E acima os dizeres: 'Trazer segurança.' Como se os imigrantes fossem inteiramente culpados pela violência. Mais sutil impossível!

E no que vai dar essa história? O governo talvez dê algum dinheiro à Paula, talvez peça desculpas, e daqui a pouco outro escândalo toma conta das manchetes. O que não vai acabar é esse preconceito absurdo.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

The last time
















"Well, I'm sorry girl but I can't stay
Feeling like I do today
It's too much pain and too much sorrow
Guess I'll fell the same tomorrow"

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Dias de luta




Ultimamente eu tenho visto e pensado numas coisas tão bizarras que prefiro nem comentá-las! Eu conheço umas pessoas bem interessantes, do tipo que dizem ter um ponto de vista, acreditar plenamente estarem certas, porém, que agem de modo esquivo e mesquinho. Mas esta não é a pior parte. Acreditem! A pior parte é que, ainda por cimas, elas querem ser o exemplo para você.

Enfim... isso não é tão importante para mim. O que interessa é que estou lutando, buscando novos objetivos, e parece que a busca está dando certo. Não que eu tenha um resultado mais palpável pra dizer isso. Mas eu simplesmente posso sentir.

Hoje estava bem confusa... Passo por umas fases meio estranhas, de duvidar extremamente de todo mundo, e querer me enfiar num buraco debaixo da terra, mas fora isso, fora ter que explicar isso, fora ter que ser odiada por isso, tudo mais vai bem.

Choramingar não adianta. Atitude é o que manda na vida.

O fazer.

O tentar.

O insistir.

O não hesitar.

E o conseguir.

Não se pode esquecer do tesouro já conquistado, por mais que pareça que ele não tenha mais o seu valor.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Considerações


Sou a Dayse.
E posso ser bem temperamental as vezes.
Posso ouvir os problemas das pessoas, aconselhar e compreender.
Mas quem vai me impedir de surtar?

Tenho hoje uma necessidade imensa de alertas à pessoas que sei - estão julgando errado a minha ausência-.

Sinceramente, eu estou muito cansada. Só por um dia eu queria não ter que provar pra todos que os adoro, necessito e admiro. Só por um dia eu queria conseguir olhar pra fora, sem ter alguém por perto me perguntando qual é motivo da minha atenção.

Não estou deixando ninguém para trás. Estou apenas precisando de tempo para escolhas individuais. Tenho necessidade de atenção, força e apoio, mas eu não quero. Quero fazer isso sozinha, me rastejar, ter que chorar para que apenas as paredes me ouçam, ter que duvidar de mim, dos meus sentimentos, da minha capacidade para conseguir chegar a algum lugar.

Não quero dar satisfações. Não quero negar nem me esconder. Só quero escolher um caminho, sem ter medo do que deixei.

Eu tenho muito amor para dar. Mas também tenho muitos medos para superar. Os medos de uma existência inteira. Fracassos e mágoas, agressões e impotência que ainda regam meu corpo. Eu preciso continuar. Ter coragem, audácia e amor próprio. E não posso confiar em ninguém para isso, não quero ouvir problemas que não são meus, não quero pedir desculpas depois. É cruel, é feio e ingrato, mas é a verdade.

- Gosto de fitar o horizonte.
- E de falar com a minha solidão
- De conflitar o meu ego
- Duvidar e refletir
- A briga entre meus dois universos hoje é imensa, gélida, intensa e mortal.

Só existe um abraço hoje que eu quero receber. E quando puder tê-lo, ele também não saberá dos meus planos. Não sei quando partirei, nem onde vou chegar. Só sei que vou.

"Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada."
(Cecília Meireles)

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Poema do beco






Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?
— O que eu vejo é o beco

(Manuel Bandeira)