domingo, 12 de abril de 2009

9:55













As vezes eu sou de vidro. Qualquer toque de mal jeito me fragiliza, a menor queda pode me fazer em mil pedaços...E ser assim não é difícil só pra mim, mas pra quem vive perto de mim também. É como se um gesto só pudesse destruir toda a beleza do que se construiu tão arduamente, com tanto suor, paixão, lágrima.

O pior é que é quase impossível saber o que eu acho bom e ruim. E isso me deixa agonizando, e eu corro por todos os lados pra ver se alguém consegue ver a minha angústia. E nesse desespero, eu não vejo mais o que faço. Acabo tropeçando nas promessas que espero dos outros, sem ao menos ter parado pra ver o que EU ESTOU FAZENDO DISSO TUDO.

Eu venho aqui desabafar. Mas será que algum de vocês consegue entender o que estou querendo dizer? Ou vocês só escutam e comparam as minhas idéias com as suas idéias, e os meu problemas com os seus problemas.

Ninguém consegue entender porque eu me sinto tão diferente assim. Eu não consigo entender porque me sinto tão diferente assim. É um conflito da minha mente com o meu coração. Mas eu ainda tenho onde me abrigar.




As vezes dá vontade de sair por aí e nunca mais me encontrar.


Nat, eu também sinto muito a sua falta.
Lis, não me esqueci de você.
Dani, penso em você todos os dias.No Nat também.
Jack, pra onde você foi?
E os meus meninos, cadê?

Um comentário:

Default the Wolf disse...

Dayse!!!!!
Saudades das coisas sem sentido q vc dizia!!!! T_T
Saudades dos seus conselhos q me confundiam e de rir da sua raiva!!!!
Acredite eu tbm ñ esqueço dos meus amigos!!!